domingo, 9 de outubro de 2011

Recaída

 Você pode ter mil amores, de uma vez só. Acho.
Eu meio que vivo assim, me apaixonando fácil, chorando fácil, desgostando fácil. Ás vezes confundo beleza com sentimento. Quero dizer: Ás vezes acho que estou apaixonado pelo simples fato de que uma pessoa é muitissimo bonita, mas isso é um pouco relativo, um pouco frio, meio cafageste. É como se eu não fosse fiel ao meu sentimento, e as pessoas são assim.
Hoje em dia quase não existe mais fidelidade. E é mais ou menos onde quero chegar. Digo, ninguém consegue ter só um alguém e isso me faz vez o quanto o ser humano nunca está satisfeito com nada. Eu, por exemplo, gostava até um dia desses de uma pessoa e parecia ser só ela. Era só ela. Foi algo mágico, meu sentimento. Mas eu sabia que existiam outras pessoas. Inclusive dessas bonitinhas que a gente pode se apaixonar fácil numa semana e depois esquecer na mesma hora. Mas com essa pessoa foi diferente.
Não era só beleza.
Não mesmo.
Nem mesmo sabia que ela existia, tipo, para mim ela era uma pessoa que passava despercebida. Mas isso foi mudando. Muito rapidamente. Porque eu comecei a notar o seu jeito, seu modo de falar. A maneira como ria das minhas piadas sem graça. A maneira como caminhava, agia. Como se mostrava quieta e santa (até eu descobrir que não era bem assim, mas mesmo assim continuei gostando). O tempo passou, passou e passou... e eu continuei descobrindo coisas piores, muito piores, mas isso não foi suficiente para me fazer deixar de gostar.
Eu ansiava pela sua voz do outro lado do telefone.
Ansiava pelo dia em que eu veria novamente.
E ansiava, a cima de tudo, apenas ver o seu sorriso.
Era o que bastava pra mim.
Eu sofri bastante, ouvia musicas que me deixavam pra baixo e me lembravam desta pessoa que hoje, não é tão importante, mas por que eu fiz ser assim. Primeiro inventei uma mentira de mim para mim porque estava cansado de viver aquilo. Inventei que gostava de outra pessoa e fiz isso escancaradamente, somente pra não deixar vestigios de dúvidas de que eu a tinha esquecido.
Eu queria deixar claro, pra todos, que não gostava mais desta pessoa e que agora era outra, não mais ela, porque eu estava me sentindo meio ridículo em gostar tanto assim alguém, quando tudo que ela guardava por mim era pena. Eu não gosto de me sentir assim. Não gosto que sintam pena de mim. Odeio me sentir um fragilizado.
E a mentira deu certo.
Parecia que agora eu estava sofrendo por outra, que não era bem uma mentira (gostei dessa pessoa uma semana, mas foi coisa, como eu já disse, passageira. Era só atração. Só beleza. Mas quando ouvi o que ela tinha pra me dizer, deixei de gostar no ato.)
E agora eu estava aqui, ouvindo música, até sentir um vazio.
Estou conhecendo algumas pessoas no momento, estou até meio admirado, mas não sei se é só pelo fato de serem pessoas bonitas ou porque gostarei de verdade de uma delas. E mesmo assim, com essas pessoas em mente, me veio a lembrança daquela que me fez inventar uma série de mentiras, somente para dizer pro meu eu que não estava mais apaixonado, como um mecanismo de defesa. Sei lá, não acho que seja uma recaída, mas se for, não direi a ninguém.
Não vou deixar meu esforço todo, aquele de escandarar meus segredos, serem em vão.
Enviar para o Twitter

0 comentários:

Você é o visitante n°

Copia e cola no teu site ou blog...

Parceiros?