sexta-feira, 22 de abril de 2011

Quebrei o silêncio

Então:

Dia desses, não muito, questionaram um pouco sobre o que e como escrevo. Aliás, venho dizer, aqueles que lêem meus textos, que não tenho nenhum vínculo ou preocupação com o que vão achar das minhas considerações, ora inúteis para alguns, com certeza úteis, até de mais, para mim. Porque, simplesmente uso esse espaço pra escrever o que tô sentindo no momento em que me proponho a digitar a primeira palavra, como um exercício simples de desabafo, porém, muito mais organizado, porque antes penso e decido qual ordem explicitarei meus pensamentos. Não é como fofocar, bater papo por aí, correndo risco de que nem me escutem. Aqui, eu sei que alguém lê, sempre lê e mesmo que eu não saiba quem seja o tal fulaninho leitor, ás vezes vem um e diz o que tá achando da minha monotonia.
Antes de pensar no que as pessoas vão achar, penso em mim. Porque, pensando bem, esse blog serve pra, antes de tudo, suprir uma necessidade muito irrelevante que é escrever. E se pensam que não pode haver prazer nisto, estão enganados. Definitivamente estão. Porque prazer não se acha somente em sexo, comida, adrenalina. Há outros que discordem sobre os ambos citados. Como tudo na vida, é relativo. No meu caso, é prazeroso escrever e não tem nada de mais nessa conversa toda. É tão ruim saber expressar o que se quer?

Quebro meu silêncio com isso aí.
Enviar para o Twitter

0 comentários:

Você é o visitante n°

Copia e cola no teu site ou blog...

Parceiros?